quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

OS EFEITOS DA CORAGEM EM 2013

A coragem de apenas uma pessoa pode salvar toda uma geração. O que quero dizer com isso? A história nos mostra que pessoas especiais, que não tem medo de confrontar o velho e acreditar no novo e que lutam para que uma nova ordem aconteça são responsáveis diretamente pelas mudanças no mundo. São elas que fazem diferença! São elas, que movidas por um entusiasmo que vai além das paixões humanas que movimentam toda uma coletividade. Não quero com isso, chamar essas pessoas de heróis, pois, para mim o termo "herói" não explica e nem convence, já que de uma certa forma, acaba mitificando e santificando as pessoas e dando a impressão de que elas não são humanas e que seriam diferentes das outras. E é exatamente por não serem diferentes, por serem extremamente humanas, cheias de contradições e medos que as admiro. O que faz elas agirem e se tornarem verdadeiros ícones para as gerações? A coragem! Os efeitos de sua coragem em confrontar seus medos e contradições para lutar por um mundo melhor transformam vidas. Transformam um país...
Digo isso vendo pela segunda vez o filme "Lula - O filho do Brasil", que ontem foi exibido pela Rede Globo (quem diria?) talvez para aumentar a sua combalida audiência. E me lembro de tantos líderes que lutaram nesse Brasil para que fôssemos o que somos hoje e de vários que ainda lutam. Criamos uma democracia ainda ingênua e personalista, cheia de matizes coloniais, que grassam no coletivo na forma de ódio de classes. Hoje sabemos disso! Uma democracia tão jovem e tão dependente ainda da voragem destruidora dos interesses individuais! Uma democracia capitalista, cheia de problemas que o capitalismo traz no seu bojo. Mas, uma democracia, cujas contradições e problemas tem nos feito despertar nos últimos anos... Nunca fomos uma sociedade fraterna e solidária como queriam que pensássemos alguns historiadores equivocados. Somos filhos da violência, uma violência tão entranhada em nós que nos busca diariamente em nosso cotidiano. É o viver a violência, confrontá-la e assumí-la, no dia a dia que nos faz crescer e aprender. Quais de nós já não a sofreu ou já não a impingiu, de alguma forma, a alguém? Somos feitos dela! Nos construímos desses alicerces. Não podemos ser hipócritas. A hipocrisia não nos faz aprender e enxergar o que é necessário para nosso crescimento. Paulo Freire foi um dos únicos que nos anunciou: "tens o opressor e o oprimido dentro de si. Esse o verdadeiro combate." É assim, que me regozijo com os grande líderes que temos, que ajudaram a mudar nosso país por terem tido essa coragem. Lula, Zé Dirceu, Genoíno e tantos outros nunca foram santos, ao contrário, foram incrivelmente humanos, maravilhosamente corajosos, abriram trincheiras no pensamento conservador e colonialista que ainda nos assola, afrontaram a hipocrisia reinante e continuam confrontando-a. Tenho orgulho deles e faço deles meu exemplo. Que em 2013, possamos ter mais coragem, e que façamos a nossa parte, para dignificar todo o trabalho construído por eles. Que nossa força multiplique e que mais e mais pessoas acordem para a necessidade de exercitar sua coragem, essa grande companheira, que quebra resistências e muda a vida das pessoas! Grande 2013 para todos nós!

4 comentários:

  1. Muito bom, Ligia. Combina com a leitura de "Marighella", um brasileiro muito, mas muito corajoso e inspirador. Ainda nem cheguei à metade, mas sabemos como termina sua vida...

    ResponderExcluir
  2. Muito bom seu texto, amiga. Vou compartilhá-lo. Bjs.

    ResponderExcluir